Sexta-feira, 2 de Janeiro de 2009

ABOLERADO

 

 

Quando olho teus olhos arregalados

Não vejo as asas do anjo

Enxergo somente o veneno

De um vampiro amarelo.

 

Teus olhos esbugalhados

Vertem um sangue obsceno

E não vendo as asas do arcanjo

Só vejo o céu assombrado

No último solstício de inverno.

 

Teus olhos sempre injetados

Ardem mais que o fogo do inferno

Quando vejo teus olhos avermelhados

Vacilo se choro ou desespero.

Trazendo a noite sem bocas

Mordendo meu cemitério.

E teus olhos por vezes inchados

Parecem um velho mistério

De amor estranho entre anjos

Ou a dor cruel dos condenados

Teus olhos enregelados

Ateiam fogo nos meus arcanjos

E nos banjos do meu bolero.

 

 

 

 

 

.

publicado por paulokauim às 04:04
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

31


.posts recentes

. sid vicious

. um fado cego

. tantas palavras - correio...

. além do céu de brasília -...

. crônica do zé

. poema de dina para donne

. cidade

. cabeça

. música do brasil

. A PAIXÃO

.arquivos

. Outubro 2011

. Junho 2011

. Maio 2010

. Janeiro 2009

.tags

. todas as tags

.favorito

. Carioca de (al)gema!

. Graffitis - Discussão

. Rua da Feira

. Tropecei na rede #003

..

website-hit-counters.com
http://www.website-hit-counters.com
blogs SAPO

.donne pitalurgh